Doninhas e Chuva: eis a noite.

Os meus pés estavam como quando virei o barco à vela. Em sopa de água! Era 1:30am e chovia, não copiosamente (lembras-te João?), mas abastadamente.

A semana passada, um rapaz chamado Adel, com quem tive a oportunidade de ter duas saídas loucas, virou-se para mim no laboratório e disse: “Hey, Paulo! Are you going to be around next week? You said you’ll be  gone soon, back to Portugal.” – “Hey man!No. That is just on August. (O que eu fui dizer!) – “See (disse ele)”. “I am going for vacations next week and I was looking for someone to take care of my ferret. I have two actually! So I came by just to ask if you would be OK with that. ” -“No problem. So, it’s a cat, right?!” -“No, it’s a ferret!” Eu não sabia o que era um ferret…mas depois lá raciocinei e lembrei-me que, numa das tais noites loucas, eu lembro-me de ter achado engraçado ele ter 2 DONIHAS como animal de estimação.

Bem…fiquei, nesta semana, de ir à casa do rapaz e dar de comida e bebida às doninhas, limpar os “despejos” e pôr jornal limpinho no chão para que elas possam cagar de novo.

Então, ontem, lá saí eu do lab à meia-noite e pensei: “****-se, *******! Ainda tenho que ir lá a casa dar de comida às doninhas…e por esta altura elas já devem ter cagado metade do quarto (sim, ele tem as doninhas no quarto!). Quando vou a saír calmamente do departamento, reparo que começo a levar com aquelas pingas que parecem cuspidelas (grossas como tudo) e pensei: “Paulo, não te vais chatear agora por causa da chuva, pois não?! Tens mais com que ganhar rugas!”

Pronto, apanhei o metro. Quando chego à paragem, ainda com uma caminhada de 10 minutos pela frente, as cuspidelas viraram “copos de água” e a frequência tambem aumentou um pouco. Lá fui eu a correr que nem um desalmado, com o portátil às costas, como se fosse salvar o mundo. E ia mesmo! Finalmente, chego à casa. Vejo-me aflito para pegar no jornal sem cagar as mãos…mas pronto. Depois já era a roupa toda molhada a fazer-me confusão ao sistema. Depois de ir deitar a cena ao lixo, vou para pôr comida no recipiente e….espalho o balde de comida pelo chão do quarto do moço. (Isto merece um parágrafo. Acreditem!)

“Paulo….agora vais ter calma…não vais pensar que é meia-noite e meia e que tens uma experiencia amanha de manhã…e vais buscar uma vassoura”. Depois foi um fartote. Só faltava abrir uma Leffe! Era eu a tentar empurrar as doninhas para as putas não me andarem a atrapalhar a varrer…mas elas so queriam mesmo era a comida! La limpei tudo, pus água e comida, e fui-me embora.

Metro? (acaba às 12.45). Autocarro?! Só à 1:am e pára mais longe do que se for a pé até casa. Decisão fácil: ir até casa pelo meio de um parque que, nao fosse saber que é zona de estudantes de dia, dava para ser assaltado e ter algum divertimento por trás, também! AH…e a chover. “Mas, onde é que eu me fui meter?!*******s ta *****!”. Até que cheguei a uma altura a meio do caminho e pensei: “A vida é tão boa! Já viste que podes experimentar a chuva e senti-la à vontade…porque já estás tão molhado que não vale a pena tentares preocupar-te em evitar..ou mesmo em ficar chateado?! Desfruta da situação, se faz favor!” (pensei mesmo) De repente aquele fim de noite, no mínimo inóspito, virou uma situação normal. Não vou dizer que estava contente. Estava normal. Normal, Normal.

A minha casa que parecia nunca mais aparecer à vista…lá se tornou realidade. Cheguei a casa à 1:30 com os pés num estado irritante.

Ainda tive tempo para apanhar o João Teixeira no skype e de lhe dizer que tinha tido uma aventura engraçada. Ele virou-se: “Mais uma daquelas aventuras, hã?!” Agora já sabes qual foi a aventura. Aposto era que pensarias envolver 3 ou 4 cervejas a mais e muita música, ou assim.

Ah..eu sei que ferret não é doninha. Já cheguei à conclusão que é algo parecido com “chinchila”, mas não é igual. É uma mistura entre esquilo, rato e coelho. Não estou a brincar. Animais simpáticos, por acaso. Mas, para mim, continuam a ser doninhas! Foi assim que eu as “interpretei” e é essa a imagem que tenho na cabeça. Então com a noite de ontem, não me parece que tal imagem vá mudar.

Abraços.

5 thoughts on “Doninhas e Chuva: eis a noite.

  1. Lol! Paulo, axo que devias fazer uma traduçao para ingles e deixa-la pensdurada nalgum canto do lab… pode ser que te convidem a umas bem que merecidad cervejas “after all”.
    Muito boa a historia ;)

  2. É um furão! lolol, tripante, só não foste assaltado porque estava a chover meu animal!!! lol Moral da História: quando fores alimentar “doninhas” leva uma Leffe

  3. Excelente 1a participação :D E história do caraças :) Tb foste a fazer squish-squish nos sapatos… essa merda é o pior… qd molhas tudo e faz barulhinho da água … Aconteceu-me qd fui do lab para casa há 3 semanas e ia de sandalinha e começou a chover feito parvo…

  4. É Paulo, curti bués o post, altamente a forma como partilhaste a cena! Fartei-me de rir, mas no bom sentido claro!Epa brutal mesmo! Primeiro post ainda por cima! Doei Doei a valer por sí.

    foi fixe agora conseguir vir um bocadinho aqui a net e poder ler esta cena.

    ****-se é que eu consigo imaginar-te na situação toda!!

    ;D

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s